Home >> Competitivo >> Black Dragons é campeã da 1ª etapa do Brasileirão Rainbow Six 2017
Brasileirão Rainbow Six 2017

Black Dragons é campeã da 1ª etapa do Brasileirão Rainbow Six 2017

Em partida marcada por rivalidade e clima de revanche, BD mostra confiança do início ao fim para superar a adversária e vencer o Brasileirão Rainbow Six 2017.

Noite histórica para jogadores e fãs de Rainbow Six Siege. Agora, o Brasil tem o campeão nacional da modalidade. A tão aguardada final do torneio, disputada entre tradicionais organizações do cenário, terminou de maneira surpreendente para mais de 200 mil espectadores, que acompanharam ao vivo nos canais da Ubisoft e-Sports. Black Dragons e BRK E-Sports se enfrentaram em confronto em que a expectativa era de equilíbrio do início ao fim. Mas a BD foi dominante e não deu chances para sua oponente. Em série melhor de cinco mapas (MD5), a equipe fez 3 a 0 e conquistou o desejado troféu Elite Six, destinado ao melhor time do torneio.

Thiago “Thyy” Nicézio e Nino “NinexT” Pavolini, do time campeão, estavam especialmente motivados para essa final. Isso porque essa competição marcou também a aposentadoria deles na modalidade. Por isso, o desejo de conquistar o título da competição se tornou ainda maior. E deu certo.

A partida decisiva colocou, mais uma vez, as duas line-ups que decidiram a primeira temporada da divisão América Latina da Rainbow Six Pro League frente a frente. Naquela oportunidade, a BD, formada pela atual line-up da BRK, venceu os atletas da V3 Masters, que hoje compõem a Black Dragons. Além disso, com suas atuais escalações, eles duelaram nas semifinais da divisão na segunda temporada da Pro League. E deu BRK.

Com mais esse fator, o confronto final ganhou um clima de revanche, deixando as equipes ainda mais motivadas. Melhor para a line-up da Black Dragons, que comemorou mais um título e confirmou sua tradição no cenário.

O confronto

O início da final não poderia ser melhor para a Black Dragons. Jogando no mapa Consulado, a equipe, formada por Thiago “Thyy” Nicézio, Nino “NinexT” Pavolini, Pedro “pzdd” Dutra, João ”Kamikaze” Gomes e Gustavo ”Psycho” Rigal, não deu oportunidades para a BRK e emplacou um incontestável 5 a 0, mesmo jogando no mapa escolhido por sua adversária.

No segundo mapa – Fronteira –  o duelo foi mais equilibrado. As disputas foram tão intensas que aconteceu algo inédito: um empate no round. A partida, que estava 2 a 2, foi para 3 a 3. A BRK, formada por André “Nesk” Oliveira, Júlio “Júlio” Giacomelli, Lucas “Yuuk” Rodrigues, Leo “Zigueira” Duarte e Leone “One” Kayque, mostrou o porquê estava na final da competição e reagiu após o revés sofrido no primeiro mapa. Porém, a melhora no desempenho da equipe não foi suficiente para superar a entrosada line-up da BD, que venceu por 5 a 3, abrindo 2 a 0 na série e ficando a um mapa do título.

O mapa Banco foi a primeira chance da Black Dragons para encerrar a série. E a equipe não desperdiçou. Mostrando mais uma vez entrosamento e táticas bem elaboradas, a BD foi implacável, impedindo qualquer chance de reação da BRK. Dominante, a equipe não parou até fazer 5 a 1 no terceiro mapa, fechando a série melhor de cinco (MD5) em 3 a 0 e se consagrando campeã do Brasileirão Rainbow Six 2017.

Com sensação de “dever cumprido” ao se despedir do cenário competitivo de Rainbow Six com o título, Thiago “Thyy” Nicézio comentou os fatores determinantes para a vitória. “Para ser sincero, nós esperávamos uma partida bem mais disputada no início. Conseguimos fazer 5 a 0 no primeiro mapa de maneira até inesperada. Depois, eles equilibraram mais o jogo, porém nós conseguimos adaptar bem a nossa tática para vencer o confronto. Tenho projetos para o futuro e me aposentar com este caneco é uma sensação muito boa”, destacou o jogador, um dos principais nomes da equipe nessa conquista.

Nino “NinexT” Pavolini, que também encerrou a sua carreira após a conquista, apontou a confiança demonstrada pela equipe como algo crucial para buscar o triunfo: “Antes de começar a partida, nossa expectativa era de um 3 a 1 ou um 3 a 2. Mas estávamos muito confiantes, nunca vi o Psycho jogar tão solto como hoje. Acho que, no fim das contas, estávamos com ‘mais bala’ e isso foi o que contou”.

Sem conseguir o título, Leone “One” Kayque acredita que a derrota aconteceu mais por méritos do adversário do que por erros de sua equipe: “Mantivemos nosso padrão de jogo. Não mudamos nossa maneira de jogar. Houve alguns erros, mas creio que a vitória da BD foi construída mais por mérito deles mesmo”.

Sobre Fábrica de Lendas

Veja também

Craftar ou não? Confira o guia das lendárias!

Craftar uma lendária não é nada fácil! Por isso essa semana apresentarei o tier de …