Home >> Competitivo >> Partes do cérebro afetadas durante o jogo!

Partes do cérebro afetadas durante o jogo!

Gostamos de jogar porque o jogo produz em nós diversas sensações mesmo sem que nós saiamos de nossas casas. Mas você sabe o que efetivamente pode mudar enquanto você joga?

Hoje em dia, os jogos são utilizados para diversos propósitos como: recreativo, profissional e potencializadores cognitivos, como mostrado no estudo de J.A.Anguera et al (2013). Sendo assim, não podemos negar que eles nos trazem diversas vantagens sociais e educativas. Porém, temos que ter muito cuidado com algumas alterações cerebrais que podem causar danos ao jogador. Mas, o que acontece conosco enquanto estamos jogando? Segundo os pesquisadores Shawn Green e Daphne Bavelier (2003), conseguimos diminuir a atividade de algumas partes do cérebro e podemos induzir grandes quantidades de produção de dopamina (substância causadora da ansiedade).

Quais partes do meu cérebro são afetadas enquanto eu jogo?

Lobo Frontal: O lobo frontal do cérebro é responsável pela execução do movimento e do comportamento. Durante o jogo, esta área do cérebro recebe menos fluxo sanguíneo e, portanto, é subutilizada, causando alterações no humor. O córtex pré-frontal, que faz parte do lobo frontal, controla a tomada de decisão, reconhecendo o certo e o errado bem como capacidade de suprimir comportamentos socialmente inaceitáveis.

Córtex cingulado anterior rostral e amídala: Essas áreas do cérebro estão ligadas a respostas emocionais apropriadas, empatia e monitoramento de conflitos. Mostraram-se menos ativas durante e imediatamente depois de jogar videogame e jogos de computador em que as armas são disparadas. Os pesquisadores sugerem que os jogadores podem de alguma forma suprimir a atividade nessas partes do cérebro para ajudá-los a lidar com o horror dos atos simulados violentos que estão cometendo.

Dopamina: Este neurotransmissor é responsável por estimular a recompensa e centros de prazer no cérebro. Jogar aumenta os níveis de dopamina, que não só recompensa os jogadores, mas também os faz procurar mais do que um “sentir-se bem” químico, jogando compulsivamente. As pessoas que têm baixos níveis de dopamina são mais propensas a comportamentos viciantes em geral. Em altos níveis, causa a ansiedade.

Em uma segunda parte, falarei com vocês sobre as implicações dessas alterações em nossa vida diária. Mas fiquem calmos e não se desesperem! Essas alterações se monitoradas por especialistas podem ser muito benéficas e é por isso que dentro dos times existe a necessidade de um profissional habilitado que tenha o conhecimento necessário para não tornar a rotina de treinos um pesadelo ou tornar os membros do time viciados em dopamina. Ter um psicólogo na equipe técnica do seu time não é um luxo, é cuidado com a saúde de seus atletas.

Estou cansada de ouvir: “Psicólogo é para gente louca e eu não sou! ”, “Eu consigo motivar meu time, não preciso de psicólogo”. Estamos aqui para que nada disso aconteça com vocês e que o competitivo e seus competidores sejam saudáveis e profissionais. Seja responsável e não deixe que isso aconteça com seus atletas.

Play safe!

Beijo

 

Fontes:

L. Marengo, What happens in our brain when we play video games? Latin American Science 2014:  http://latinamericanscience.org/2014/08/what-happens-in-our-brain-when-we-play-video-games/

Green CS, Bavelier D. Action video game modifies visual selective attention. Nature 2003; 423: 534-537: http://www.nature.com/nature/journal/v423/n6939/full/nature01647.html

Sobre Ariane Melo Marsoti

Psicóloga Esportiva, Jogadora, Dona de Casa... meio humana, meio orc mas sempre com muito sono!

Veja também

A Season de Rainbow Six Siege mais disputada de todos os tempos !!!

Saudações operadores, Ozoob novamente com a palavra depois de uma ausência (novamente) mas voltamos para …