O Major é o principal evento do Counter-Strike, é tão balado, pois possui uma série de peculiaridades para jogadores e espectadores, desde a possibilidade de um pro-player cravar o nome na história, até ganhar uma skin raríssima assinada por eles. Por isso, acontece apenas 3 vezes ao ano, sendo disputado por 16 equipes, 8 legends e 8 challengers.

Os legends sempre são as equipes que alcançaram, no mínimo, as quartas de final do major antecessor, formando o grupo de 8 times. Já os challengers, buscam as 8 vagas nos qualificatórios offline, meses antes do evento acontecer.

Em mais de três anos de competições mundiais de CS:GO, aconteceram 9 majors e 7 organizações sagraram-se campeãs por 4 países diferentes. A Suécia é a grande líder, com a fnatic possuindo 3 títulos e a NIP com 1 conquista. Na sequência vem o Brasil, com os títulos dos dois últimos torneios, representando Luminosity e SK Gaming. Ao lado, está a França, liderada por LDLC e Envyus, com 1 título cada. Por último estão os poloneses da Virtus Pro, com o caneco conquistado em casa, na Katowice de 2014.

Apenas nos majors, são comercializados os adesivos de players e organizações, adesivos esses que podem ser comprados e colados nas diversas armas que o jogo possui. A Valve não divulga valores, mas é sabido que uma quantia das vendas dos adesivos é revertida ao jogador que assinou.

Outra característica importante dos torneios major é que distribuem caixas de armas para os telespectadores. A cada round finalizado, são sorteadas um número de caixas proporcionais a quantidade de espectadores da partida e ao abri-la, é possível receber uma skin de lembrança, comumente mais caras que as normais.

O formato de disputa dos majors era composto por 4 grupos com 4 participantes, as equipes se enfrentam em melhor de um mapa nas primeiras duas rodadas e na melhor de 3 mapas na disputa da repescagem do grupo, passando duas equipes por grupo. Na sequência, mata-mata até a final na melhor de 3, aonde cada equipe bani 2 mapas, escolhe um e o restante dos 7 é disputado caso necessário. Mas tudo mudou, no próximo evento em Atlanta, o formato será suíço, aonde oito equipes que vencerem três partidas dentre cinco possíveis, avançam até as quartas e consequentemente, garantem o status de legend.

Aliás, os eventos iniciais sempre contavam com uma premiação base de 250 mil dólares. Apenas os dois ultimos majors, vencidos pelos brasileiros, tiveram uma premiação de 1 milhão de dólares e o de Atlanta, em janeiro próximo, atingirá o mesmo valor. Portanto, pode-se dizer que o Brasil levou os Majors mais caros já feitos, fazendo com que Fallen, Fer, Cold, Taco e Fnx, entrassem para o top 10 jogadores de Counter-Strike mais bem pagos da história.

O Brasil entrou pra história do Counter-Strike como em nenhum outro jogo no mundo todo, 2016 foi de grandes conquistas e que 2017 venha tão grande quanto. A equipe da SK, agora completada pelo português Fox, que entrou no lugar do Fnx, vem em busca do tri, na esperança de alcançar fnatic e fazer o que nem os suecos fizeram, o VERDADEIRO tri-campeonato, em sequência.