O Brasil tem a chance de ser campeão mundial neste fim de semana. Team Fontt e BRK E-Sports serão as representantes da divisão LATAM na segunda temporada da Rainbow Six Pro League 2017. Na próxima sexta-feira (25), a BRK será a primeira equipe brasileira a estrear na fase final do torneio, em duelo contra a norte-americana Rogue, antiga Vertical Gaming, às 9h55 (horário de Brasília). Com campanha impecável na divisão LATAM, a Team Fontt pegará a francesa Millenium, às 12h15, no último jogo das quartas de final. As finais mundiais estão sendo disputadas na Gamescom, uma da maiores feiras de games do mundo, em Colônia, na Alemanha, entre sexta e sábado.

Superação e empenho descrevem a jornada de ambas as equipes até aqui. A line-up da BRK joga pela segunda vez no mundial. Na última temporada, os jogadores, atuando pela Black Dragons, chegaram ao segundo lugar, elevando o Brasil a outro patamar no cenário competitivo. A Team Fontt também já  teve experiência internacional. Ainda como Santos Dexterity, disputou o Six Invitational neste ano.

A fase final da segunda temporada da Rainbow Six Pro League 2017 terá a presença de oito equipes. Além das duas representantes LATAM, outros seis times se classificaram para jogar pela Europa e América do Norte.

PENTA Sports (UE) , ENCE eSports (FIN) e a Millenium (FRA) irão defender a divisão Europeia. Já os três times da América no Norte serão Team eLevate (EUA), eXcellence Gaming (EUA) e a Rogue (EUA). A disputas serão transmitidas ao vivo nos canais da Ubisoft e-Sports:  Ubisoft – Twitch  e Ubisoft e-Sports (Youtube).

BRK E-Sports x Rogue

 Esta é a primeira vez que a BRK E-Sports participará das finais mundiais da Rainbow Six Pro League. E para chegar até aqui e enfrentar a Rogue, a equipe teve que se superar jogo a jogo neste ano, com um retrospecto repleto de altos e baixos, não somente na Rainbow Six Pro League, mas também em outros torneios. No BR6, por exemplo, a equipe está na decisão, após vitória sobre a, até então invicta, Team Fontt nas semifinais.

Já a sua atuação pela Pro League foi marcada pela superação. No primeiro duelo, vitória sobre a Merciless Gaming por 2 a 0. Mas, em seguida, o time perdeu da Team Fontt. Na repescagem, a equipe reagiu e levou a melhor sobre a NoX – 2 a 0. Na partida que decidiu um dos classificados para Colônia, equilíbrio contra a rival Black Dragons. No fim, vitória por 2 a 1. Na final da divisão, outra derrota para a Fontt. Mas as derrotas não abalaram os jogadores.

Agora, é hora de focar e projetar o futuro do confronto contra a Rogue. André “Sensi” Kaneyasu, técnico da BRK, acredita em evolução para levar o “caneco” do mundial: “Embora as reviravoltas tenham acontecido neste ano, nosso desempenho tem melhorado a cada jogo. O objetivo do nosso time é o que todos desejam: o caneco do Mundial. Fomos vice da primeira temporada com muita dedicação, foco e vontade de chegar até lá. Nós temos enormes chances de sermos campeões e trazer o título para o Brasil”.

Logo na estreia, um rival difícil, com tradição no cenário. A Rogue terminou em segundo lugar na divisão América do Norte – depois de três vitórias e uma derrota na decisão do regionalPor isso, Sensi quer equilíbrio da BRK: “Alcançar esta média é importante para o time continuar a evoluir, embora tenhamos muito para aprender ainda. Nenhum time é perfeito, erros são cometidos de várias maneiras. Alguns são pequenos, mas possuem um grande impacto no jogo. Por isso, é importante, além de treinos, ter sempre atenção no jogo e saber lidar com os imprevistos e a improvisação”, diz “Sensi”. “A expectativa é a mesma de todos os jogos. Mostramos durante o ano inteiro que temos potencial para expandir a visão lá de fora e mostrar que o Brasil também dá bala. Como alcançamos uma boa colocação na temporada passada, a Rogue estará bem preparada para esse confronto, mas acreditamos e nos esforçamos para que possamos sair melhor”, completou.

Team Fontt x Millenium

O retrospecto repleto de vitórias e boas atuações nesta temporada chancela a força da Team Fontt para o confronto contra a Millenium. A equipe francesa também é forte, mas acumulou duas vitórias e duas derrotas em sua campanha, e conseguiu garantir o terceiro lugar na divisão Europeia. Os brasileiros, que perderam apenas um round na competição toda, chegam ao mundial como campeões da divisão LATAM. Melhor para a equipe, que foca 100% nas fases finais da Pro League e está ainda mais confiante.

O motivo da confiança da Team Fontt é a campanha impecável até agora. No primeiro jogo, a equipe venceu por 2 a 0 a NoX Gaming. Na sequência, bateram a forte BRK, mais uma vez, por 2 a 0. Já nas semifinais, mais uma vitória pelo mesmo placar (2 a 0) contra o INTZ. No último confronto pela divisão LATAM, a BRK foi mais uma vez vítima do time: 2 a 1.

Guilherme “gohan” Alf, capitão do time, acredita que a evolução da equipe foi consequência do entrosamento coletivo e de trabalho duro. Porém, para ele, a confiança foi conquistada aos poucos: “Fruto de muito trabalho e dedicação. Sabíamos que tínhamos muitos jogadores talentosos no time, mas organizá-los a partir disso foi um desafio. Com o tempo, os jogadores foram se entrosando, ganhando confiança e, no fim, conseguimos colocar tudo o que treinamos em prática e acho que isso nos trouxe ao patamar que estamos agora. Estamos muito felizes, mas sempre tem o que melhorar”.

Sobre a expectativa para o confronto contra a Millenium, “Gohan” elogia a  consciência tática do rival. Por isso, o capitão enxerga que, além de talento, a força coletiva será a chave para a Team Fontt chegar a 100% de aproveitamento e levar a primeira vitória da fase mundial: “Eles possuem ótimos jogadores e, como todo time fora do Brasil, têm uma boa consciência tática. Estamos estudando o jogo deles com muito empenho e esperamos fazer um bom confronto, além de trazer a primeira vitória em busca de nosso objetivo maior. Individualmente, sabíamos que o time era muito talentoso, porém o Rainbow Six não é um jogo individual, e o jogo em equipe influencia demais. Estamos sempre evoluindo e nosso foco é chegar 100% nas finais, dando o nosso máximo”.

O jogador também enumerou os motivos pelos quais a equipe deseja tanto levar o caneco: “Queremos muito uma final brasileira e vencer o campeonato. Primeiro para mostrar como o Brasil é forte no cenário mundial e todo o investimento feito no cenário nacional merece nos colocar no topo do mundo. Segundo pois é o sonho de qualquer jogador profissional. Acreditamos que temos totais condições de conquistar o título. Nosso maior trunfo é a adaptação, a leitura do jogo e a capacidade de não se desesperar em momentos adversos. Esperamos colocar tudo isso em prática e trazer o caneco para o Brasil”.

Rivais em Colônia

A Ence (Finlândia), melhor campanha da divisão Europeia, e a Penta (União Europeia) são os outros classificados da Europa para esta fase final. Já as norte-americanas Elevate, que tenta repetir os bons resultados dos tempos de XBOX quando era uma das melhores do mundo, e a Excellence, que foi o campeão regional, são os outros times representantes da América do Norte.

A Penta foi a campeã da primeira temporada da Rainbow Six Pro League. A brasileira Black Dragons perdeu a final para os rivais, mas mostrou a força do país no cenário atual da modalidade.

Ao todo, serão distribuídos US$237,5 mil em premiações na segunda temporada da Rainbow Six Pro League 2017. Mais detalhes sobre a competição e programação em http://www.ubiesports.com/.