Além dos games

gc

Quando pensamos em “gamers”, logo vem à nossa cabeça um indivíduo gordinho atolado no console, só de roupas debaixo, em meio a salgadinhos e refrigerantes… Não podemos culpar quem pensa assim porque tudo tem um estereótipo!

Porém, uma leva de pró-players e técnicos em games estão mostrando a real face da comunidade. Muitos projetos sociais de destaque estão tomando conta da comunidade gamer e levando muitos bons exemplos para fora da comunidade. Assim como o pessoal da Gamers For Change, muitos movimentos brasileiros dentro da comunidade gamer têm ganhado destaque mundial.

Projetos atuais, como o Ecopoint Overwatch e o MyGameMyName pretendem reeducar e desenvolver (dentro e fora do cenário) a conscientização sobre problemas sociais e meio ambiente. Projetos como esse tiram o gamer da sua zona de conforto, promovem a interação, o debate e o incentivo à novos e melhores hábitos.

Segundo Asi Burak, presidente da Gamer For Change, jogar é social, participativo e tem o aprendizado como núcleo. Ele menciona que estes são elementos essenciais para o impacto social e que devemos tirar vantagem disso.

Mas, porque estes movimentos são tão importantes?

A comunidade gamer é formada em sua maioria por jovens. Além disso, é ferramenta para desenvolvimento de habilidades (veja aqui o vídeo do FDL na CPBR10), construção de caráter e personalidade de um indivíduo.  Sendo assim, é muito importante que produtoras e desenvolvedores estejam preocupados não só com o entretenimento e com a comercialização de seus produtos, mas também com a qualidade social do que entrega. O jogador consciente, será um cidadão consciente e desenvolverá um papel crucial em sua comunidade dentro e fora dos games.

Além da sua função lúdica, os jogos têm como função o desenvolvimento e aprimoramento de inteligências. Jogos em equipe, como Overwatch, LOL, CS:GO e outros, promovem habilidades sociais e comunicação de seus participantes. Hearthstone, e até Candy Crush, por exemplo, favorecem o pensamento lógico e a resolução problemas, além de todos promoverem a plasticidade cerebral pela constante necessidade de aprendizagem.

A tecnologia e os dispositivos que temos hoje disponíveis, tornaram mais fácil o acesso aos games e, é muito difícil conhecermos alguém que não tenha tido nenhum contato com eles. Isso nos prova como os jogos são ferramentas muito poderosas na transformação social e no desenvolvimento humano, especialmente por seus elementos de interação, recompensa e aprendizagem. As produtoras devem estar muito atentas aos movimentos da comunidade para que, junto com outros profissionais técnicos (psicólogos, pedagogos, neurocientistas…) possam estar presentes na vida de seus jogadores e na história humana.

Saiba um pouco mais sobre os projetos:

Ecopoint Brazil

Página: https://www.facebook.com/EcopointBrazil/

Proposta: Projeto que promove a interação social de jogadores de Overwatch e outros games, através de encontros e realização de tarefas que promovem a saúde e cuidados com o meio ambiente.

MyGameMyName

Página: http://www.mygamemyname.com/pt

Proposta: Acabar com o assédio online e diminuir a toxidade da comunidade, especialmente com o público feminino.

Unpluzze

Página: www.fabicadelendas.com.br

Proposta: Projeto que utiliza jogos para a promoção de saúde mental.

E você, conhece algum projeto que mereça destaque na comunidade? Entre em contato com a gente 🙂