Share

Ação procura ‘reconstruir confiança’ de colaboradores e consumidores de WoW após casos de machismo serem expostos

A Blizzard declarou em anúncio nas redes sociais, que os conteúdos que foram classificados como “inapropriados” serão excluídos do World of Warcraft. A medida aconteceu depois da revolta entre os empregados da empresa americana no tocante às acusações de assédio sexual e diferença entre os salários de mulheres e homens dentro da Activision Blizzard. O próximo passo da empresa será de “reconstruir a confiança” dos colaboradores e dos players.

Enquanto recorremos à nossa equipe para guiar nosso trabalho interno, afim de proteger grupos marginalizados e fazer com que aqueles que os ameaçam sejam responsabilizados, nós também queremos tomar medidas imediatas em Azeroth para remover referências que não são apropriadas para nosso mundo. Esse trabalho está em curso, e vocês verão bastantes mudanças nesse sentido tanto em Shadowlands quanto no WoW Clássico nos próximos dias – diz a postagem da última terça (27).

Estipula-se que as primeiras referências das recentes acusações que irão retiradas serão as que forem relacionadas a Alex Afrasiabi, ex-diretor criativo do World of Warcraft, que é um dos principais acusados de assédio e também de abuso sexual dentro da empresa. Mesmo não fazendo parte da Activision Blizzard desde junho do ano passado, seu nome ainda é ainda aparece no jogo da empresa em NPCs (Personagens Não-Jogáveis) do WOW.

About Author

Estudante de jornalismo e de história. Baixista, amante de um monte de besteiras inúteis e doente por revistas em quadrinhos e pela Hayley Williams

%d blogueiros gostam disto: