Share

Após condenação, empresa responsável afirmou que dinheiro irá melhorar o sistema anti trapaça

Os tribunais federais da Alemanha e também do Estados Unidos deram causa ganha a Tencent Games e da KRAFTON, que são empresas responsáveis pelo desenvolvimento de PUBG, após um processo contra um grupo de hackers que forneciam cheats dentro do jogo. Com a vitória, as empresas irão receber o valor de US$ 10 milhões, cerca de R$ 56 milhões do grupo de hackers como danos causados a elas.

PUBG Mobile no TUeS terá 19 equipes na disputa — Foto: PUBG/Divulgação

Além da multa imposta, a decisão ainda aponta que os hackers não poderão atuar com ações ilegais envolvendo a trapaça em jogos, e também estão impedidos de detalhar para outros criadores de cheats como exploraram as fragilidades do PUGB Mobile.

As empresas responsáveis pelo desenvolvimento do jogo afirmaram que todo o dinheiro oriundo do processo será revertido em uma melhora na criação da tecnologia anti-cheat para o jogo. Em uma nota, Rick Li, produtor do game afirmou que a decisão favorável é uma vitória para a indústria de jogos em uma maneira geral na luta contra as trapaças.

— Milhões de jogadores em todo o mundo desfrutam do PUBG Mobile e nós garantimos condições equitativas para todos. Infelizmente, as ações de grupos de hackers prejudicam a justiça do jogo. Esses julgamentos enviam uma mensagem clara de que não toleraremos trapaça no PUBG Mobile — disse.

A Tencent e a KRAFTON implementaram recentemente uma punição aplicada no celular que for pego utilizando o programa de cheat, com o objetivo de acabar a utilização de programas desse tipo. Como punição, o player que for pego usando algum tipo de vantagem terá o aparelho banido de maneira permanente, sendo assim, sem conseguir jogar o jogo ou sequer criar uma nova conta.

About Author

Estudante de jornalismo e de história. Baixista, amante de um monte de besteiras inúteis e doente por revistas em quadrinhos e pela Hayley Williams

%d blogueiros gostam disto: