Desde pequenos ouvimos de nossos pais e tutores que o importante mesmo é competir. Mas durante a vida percebemos que apenas os ganhadores podem repousar em berço de ouro e receber os louros de ser campeões.  Ninguém lembra do segundo lugar, dos vices, mas todos sabem os nomes daqueles que chegaram primeiro. Então quer dizer que dentre milhares de almas apenas uma valerá a pena?

Sempre que nos deparamos com esse tipo de situação ou quando estamos nas posições baixas, tendemos ao derrotismo, esquecendo que a vitória nunca virá de graça. A jornada é o mais importante. Segundo o filósofo John Locke (1632 – 1704) e sua teoria empirista da Tábula Rasa, o ser humano nasce o ser humano é uma página em branco e somente ao longo de sua história vai acrescentando em suas páginas os acontecimentos de sua vida, bem como o conhecimento dali adquirido.

Partindo desse pressuposto, compreendo a velha máxima de que: “Ninguém nasce sabendo! ”. E é por isso que passamos a maior parte da nossa juventude (e posteriormente também) dedicados ao estudo acadêmico. Nosso livro da vida vai se preenchendo aos poucos e por nós sendo roteirizado. Quando buscamos nos aprofundar em algum assunto, temos ali um novo capítulo, cheio de novas páginas a serem preenchidas.

Para os atletas e cyberatletas essas páginas são preenchidas durante cada treino, cada amistoso, cada partida e o capítulo final é a vitória. E não temos como alterar esses fatores e dificilmente conseguimos acelerar. Além do mais, devemos lembrar que todos passarão e parraram por este mesmo processo, ou seja, se hoje alguém está no topo é porque já comeu grama aqui em baixo. Assim como quem hoje come grama com você, também vai ter seu dia de vitória e só você vai poder dizer a qualidade e a duração disso. A vitória é uma questão de treino, paciência, qualidade e TEMPO. Não adianta apressar!

Muita gente não presta atenção nos capítulos entre o começo e a grande final, mas é justamente os capítulos intermediários que ditarão como e quando será essa vitória. Tem leitor que gosta tanto dos capítulos intermediários que viram fã do personagem independente se no final vai vencer ou não. E tem gente que odeia tanto o personagem que no final queria mesmo é que ele perdesse. O que me deixa bem segura em dizer que o que importa mesmo é a jornada.

A competição vai te trazer a experiência e um bom jogador aprende com isso. A experiência vai te trazer sabedoria para aprender com a derrota para que possa alcançar a vitória sem desânimo e com muita motivação. A competição vai te mostrar também outros “livros”, ou seja, pessoas com pontos de vistas, vivências e estratégias diferentes. E por fazer parte disso você deve ser grato e respeitar a jornada dos outros também. Ganhar é maravilhoso, mas o aprendizado não vem da vitória, vem da competição. A vitória é produto de como você aproveitou com o aprendizado de sua jornada.

Então, quando você perder, vai de você ficar puto, se punir, xingar o outro… Ou, escrever uma nova estratégia, aprender e melhorar… porque no final das contas, competir é legal mas o importante mesmo é ganhar!